sexta-feira, outubro 12, 2018

Gostei de Ver o Ferreira da Silva em Almada...


Gostei de ver o nosso Ferreira da Silva, um dos grandes artistas plásticos das Caldas da Rainha, representado na exposição, "A Luta Continua - 140 anos de Ilustração Portuguesa".


A exposição está patente na Casa da Cerca de Almada até 6 de Janeiro e tem Jorge Silva como curador.

(Fotografia de Luís Eme)

sábado, outubro 06, 2018

Mesmo não Sendo Caso Único...


Mesmo não sendo caso único, pois existem várias lojas que vendem a chamada "loiça malandra", é a única que não tem medo de quase usar um dos nomes que celebrizou as Caldas da Rainha... 

Sim, os dois pontos são o equivalente a um "piiiii" na televisão.

(Fotografia de Luís Eme)

sexta-feira, setembro 28, 2018

A Maresia da Foz do Arelho...

Alguns amigos de Almada foram até ao Oeste numa excursão organizada pela Incrível Almadense e pelo CIMO, com passagens pelas Caldas, Foz do Arelho e Óbidos.

A grande surpresa para uma boa parte deles foi o  "nevoeiro com frio" que descobriram na Foz do Arelho.

Alguns fartos deste Verão infindável, agradeceram aquela frescura atlântica, aqueles borrifos que vêm do mar e chamamos maresia... Outros nem por isso, até disseram que poderiam ter avisado, para levarem casaco...

Eu só lhes pude dizer, que se há coisa de que tenho saudades do Oeste, é do seu microclima, das temperaturas amenas e até da maresia, do céu cinzento que gosta de brincar às escondidas com o Sol e de aquele Mar único, mexido e com som, da Foz do Arelho.

(Fotografia de Luís Eme)

terça-feira, setembro 11, 2018

A Poesia com Memória...


Embora nem tenha grandes pretensões a chamar-lhe poesia, acabei por aproveitar uma notícia absurda da Nova Zelândia (uma aldeia que quer por fim aos gatos...) e recordar a minha avó, que nos seus últimos anos de vida, desistiu de ter gatos, graças ao seu espírito libertário e também suicida (além de a deixarem sozinha lá por casa, acabavam por ficar sempre debaixo de algum carro...).
Também quis recordar e homenagear a Gena, que adorava gatos e é a autora da fotografia...

uma notícia, duas memórias…

Quando li a notícia sobre a aldeia neozelandesa
Que quer proibir os gatos domésticos
Pensei em ti avó (e na Gena…).

Sei que ias ser contra
Apesar de não gostares
«de toda aquela liberdade»
Porque saiam de casa e deixavam-te sozinha

Talvez tenhas percebido, demasiado tarde,
que os gatos são donos de si próprios,
e não tanto nossos animais de estimação.

Eu não te disse,
Mas o que eu mais adorava, e adoro, nos gatos
Era, e é, esta forma de vida, livre e espontânea…

Palavras de Luís [Alves] Milheiro

Fotografia de Gena Souza

(este poema e esta fotografia fazem parte da 3.ª Exposição de Poesia Ilustrada da SCALA, patente na sede /galeria da SCALA, em Almada)

quarta-feira, agosto 22, 2018

Olha os Comboios! Olha a Linha do Oeste!


De repente toda a gente descobriu que existem linhas de ferro sem manutenção, comboios velhos e estações abandonadas de Norte a Sul.

Parece que a "rainha da demagogia" até apanhou hoje o comboio nas Caldas, até Coimbra B. 

Será que ela se lembra de que partido era o anterior presidente da CP, Manuel Queiró, que tão bons serviços prestou a esta instituição (tal como todos os seus administradores nos últimos 30 anos...)?

Como o nosso Rafael deve ter sorrido, quando a "comitiva" invadiu a estação e espantou as moscas...

(Fotografia de Luís Eme)

domingo, agosto 19, 2018

Festejar a Fotografia e a Memória...


Já falei por aqui na "porta rolante" do "Café Capristanos" (penso que é assim que se chama na actualidade. Mesmo que não seja, penso que é este o seu nome inicial...).

Fica no café que mora "dentro" da garagem dos autocarros das Caldas da Rainha, um espaço bonito no exterior e interior.

Gostei de ver que continua lá, ao ponto de a fotografar, numa das minhas visitas de médico que costumo fazer às Caldas da Rainha.

(Fotografia de Luís Eme)

terça-feira, julho 10, 2018

Os Campos do Oeste...

Durante anos passámos uma boa parte dos domingos da nossa infância na casa dos avós maternos (e claro, uma boa parte das "férias grandes"...).

A viagem não era longa, mas as estradas desenhadas pelo tal inglês dos "ésses" e iésses" (continuam lá. são as mesmas, mais largas aqui e ali, mas com as mesmas curvas...), que acompanhavam os montes e vales, assim como os condutores das camionetas de carreira, ofereciam alguma "aventura" pelos campos do Oeste...

(Fotografia de Luís Eme)

terça-feira, junho 05, 2018

Porque Sim...


Porque sim...

(Fotografia de Luís Eme)

terça-feira, maio 15, 2018

Dia da Cidade


Hoje é o Dia das Caldas da Rainha...

(Fotografia de Luís Eme)

domingo, maio 06, 2018

Dança de "Mães" com a Benção do Malhoa

Hoje fui às Caldas almoçar com a minha mãe e com o meu irmão.

Para variar passei pelo Parque, que descobri estar em festa, com a sétima edição do Festival Oeste Lusitano.

Um dos aspectos mais curiosos foi a aula de "fitness" no relvado junto à estátua e ao Museu do grande José Malhoa. Como só estavam a dançar mulheres e crianças, pensei que devia ser uma iniciativa alusiva ao Dia da Mãe.

(Fotografia de Luís Eme)

quarta-feira, abril 25, 2018

A Liberdade que Não Chegou às Caldas


Não é algo que me orgulhe, mas sei que as Caldas, a cidade onde apenas não nasci (fui nascer à casa da avó...), mas da qual sou natural, não é uma Terra de Abril.

E não o digo apenas por esta ser um "feudo da direita" desde a Revolução dos Cravos. Digo-o porque nunca a senti como uma Terra Livre, como é por exemplo, Almada.

As pessoas nunca se libertaram da sua mentalidade "pequeno-burguesa". Talvez algumas ainda tenham medo dos "comunistas comedores de criancinhas e com seringas nos bolsos para injectar atrás das orelhas dos velhinhos"...

(Fotografia de Luís Eme)

quinta-feira, abril 19, 2018

Caldas SC: Qualidade e Dignidade


Desta vez não consegui bilhetes (a procura foi mais que muita nas Caldas e o espaço nas bancadas do Campo da Mata foi encurtado...), mas não perdi a transmissão televisiva durante os primeiros noventa minutos.

Vi o jogo na minha Incrível Almadense e achei curioso o facto de todos os espectadores estarem a torcer pelo Caldas. O "David" enfrentava o "Golias" e não se notou qualquer diferença no tempo regulamentar de jogo.

Como a sala foi enchendo para o Sporting-Porto, que se seguia (o prolongamento foi relegado para um dos outros canais da Sport tv...), fui para casa, onde assisti à reviravolta do jogo, praticamente sem imagens.

A derrota pela margem mínima não retira nada à dignidade e valentia demonstrada por uma equipa do terceiro escalão, muito menos encorpada que o adversário, que não parecia do primeiro escalão do nosso futebol, graças à réplica do Caldas, que queria muito estar no Jamor, e não foi inferior no tempo normal de jogo.

Ou seja, nem faltou muito para o sonho se tornar realidade...

Parabéns a todos. Jogadores, treinadores e dirigentes. Pintaram de dourado mais uma página da história do Caldas SC e das Caldas da Rainha.

(Fotografia de Luís Eme)