terça-feira, junho 26, 2007

Os Santos Populares do Meu Bairro


Nas Caldas da Rainha os Santos Populares eram festejados em quase todos os bairros, com a realização de bailes, organizados por colectividades e comissões de festas.
Eram a grande distracção da época e também a possibilidade de aproximação de alguns rapazolas das gerações anteriores à minha, de algumas donzelas bonitas e difíceis, que não conseguiam escapar ao aperto das músicas lentas, apesar dos olhares cortantes das mães...
Na meninice assistia aos bailes do meu bairro e já pré-adolescente, também dava um salto com o meu irmão e amigos ao Bairro da Ponte.
Lembro que nem todos os anos se realizavam estes festejos no meu bairro, talvez por não existir nenhum clube recreativo com a dimensão dos "Pimpões", colectividade do Bairro da Ponte, nosso rival das futeboladas e de tudo o que pudesse gerar competição.
O que nunca se deixou de realizar na minha rua foi a fogueira do São João, onde se saltava, desafiando as labaredas altas perfumadas com o rosmaninho que apanhávamos nos pinhais que circundavam todo o Bairro dos Arneiros e que com o passar dos anos, acabaram quase todos engolidos pela especulação imobiliária.
A fogueira era mantida acesa até ao raiar do dia...
Nas Caldas também se realizava a Feira de São João. Embora fosse mais pequena e durasse menos dias, tinha quase tudo da Feira de 15 de Agosto, desde o circo, às diversões habituais do carrocel aos carrinhos de choque. E claro, as barracas de comércio, de comes e bebes e das famosas farturas, que ainda resistem ao tempo e marcam presença em todas as festas...

"As Padeiras" de José Malhoa dão cor a este texto...

11 comentários:

Sininho disse...

Ai, Luís, as recordações de infância...
As minhas estendem-se até ao Porto, onde passei a meninice e a adolescência. O S.João, claro, era a grande festa.
Em pequena, os meus pais compravam-me fogo de artifício que eu deitava da varanda para o quintal.
Os dias são longos, nesta altura do ano e a minha impaciência era enorme, até chegar o escuro da noite, altura em que a minha modesta pirotecnia ia para o ar.
Mais tarde, eram as noitadas de alho porro e erva cidreira na mão e os penteados desfeitos de tanta pancadinha amigável...
Bons tempos foram aqueles.
Tenho umas saudades imensas da vida no Porto.

Rosa dos Ventos disse...

Por aqui festejam-se os três Santos, cada um no seu lugar da freguesia que é do tipo concentrada/dispersa (dá para entender?).
No meu bairro reina o S. João, tem capela e tudo...
Quer dizer que há missa, procissão, banda pelas ruas, foguetes, arraial, quermesse, comes e bebes, algodão doce e bailarico.
Dura dois dias!
Dura

Cris Caetano disse...

Oi Luís! Essa época é para mim de boas recordações. Meu avô era de Resende e sempre festejava o S.João numa Quinta que tínhamos. É frio por aqui nesta época do ano e as noites ficam lindamente estreladas. Ele comprava balões pequenos que ardiam logo que subiam um pouco mais. Ele fazia a fogueira no jardim a frente da casa, mamãe, vovó e minhas tias cuidavam dos comes e bebes, eu e meus primos brincávamos com estalinhos e foguetinhos(mínimos) que levavam o nome de estrelas, dos pais não lembro rsrsrs. Uma época maravilhosa da minha infância que sinto um imenso prazer em recordar. Outros anos de S.João passei felizmente no Porto e sempre adorei a data.
Beijos

Rosa dos Ventos disse...

...também duas noites.
(para aproveitar o "dura" a mais de cima.);-))

Luis Eme disse...

Eu vi logo Sininho, tinhas de ser uma mulher do Poarto, carago!

Gosto muito do Porto e da gente do Norte...

Luis Eme disse...

O S. João também já foi uma grande festa em Almada, com procissão e tudo, Rosa (agora passa despercebida...).

As modernices (como as marchas...) tendem a engolir as verdadeiras tradições populares...

Luis Eme disse...

O S. João no Porto é único, Cris.

Maria disse...

Luís

Não tenho memória de nada disto....
Lembro-me de saltarmos a fogueira com alcachofras (para ver se no dia seguinte estavam floridas, claro...) e a Feira do 15 de Agosto...
De comemorações de Santos... nada... e tenho pena...

Luis Eme disse...

Não te lembras da Feira de S. João na Mata, nem dos bailaricos no largo do Bairro da Ponte, junto ao fontanário, ao pé da sede antiga dos Pimpões?...

A feira acho que ainda se realiza, os bailaricos não sei, Maria...

Maria disse...

Pensava que a feira na Mata era a do 15 de Agosto...
Dos bailaricos no Bairro da Ponte... não me lembro...

De qualquer forma, estive lá estes dias, e não dei por festejos nenhuns no largo do fontanário...
... se calhar agora vão todos para os bares da antiga praça do peixe e do borlão....

Luis Eme disse...

Eram as duas na Mata... há bastantes anos.

Pois os tempos mudam, já não há espaço para bailaricos nas cidades "modernas", Maria...