terça-feira, dezembro 30, 2008

Mais um Ano que Voou...

Um dos primeiros sintomas de que já não vamos para novos, é a sensação de que à medida que os anos vão passando, os dias, as semanas e os meses vão-se encurtando, tornando tudo o que nos cerca mais curto...
Até a passagem de ano se vai esvaziando de sentido, como se quiséssemos parar no tempo. Mas as máquinas que param, voltam para trás e para a frente, só existem nos filmes...

E agora ainda é mais complicado fazer previsões... parece que estes economistas, burlistas, fantasistas, socialistas, etc, além do dinheiro, do emprego, também nos querem roubar os sonhos...
2009? Será no mínimo, mais um daqueles anos curtos...
Valha-nos a "terapia" de Magritte...

10 comentários:

gaivota disse...

um 2009 com sonhos roubados... sei lá! ninguém pode saber nada ou simplesmente imaginar um dia após o outro, mesmo que seja apenas um amanhã...
cantarei como o meu amigo "amanhã, vou acender uma vela p'rá muxima..."
feliz ano novo, em paz e com saúde, o resto vem por acréscimo!
beijinhos

Maria P. disse...

Ou mais um ano que se deixou voar...

Que o próximo seja com saúde, paz e amor.
Um Feliz Ano.

Beijos, Luís M.

as velas ardem ate ao fim disse...

Desejo-te tempo, tempo para a vida.
Desejo-te tudo o que tu quiseres!

um bjo e Bom Ano!

tulipa disse...

Olá Luis

Como é bom receber um abraço apertado e sentido, de quando em vez, há muita falta de abraços e toques.

Aprecio o teu sentido de justiça, peço-te que quando puderes, não tem de ser já hoje, leias o meu último post com o título "Para terminar 2008" e vejas como fui maltratada no meu local de trabalho.
Gostaria de ler a tua opinião acerca do que relato.

Aproveito e deixo também os meus votos de um feliz ano novo.

Joana disse...

Estás errado, Luís.

Eles não conseguem roubar-nos os sonhos. Salazar também tentou e nunca o conseguiu...

Luis Eme disse...

pois não, Gaivota.

mas...

Luis Eme disse...

sim, são as coisas que mais precisamos, M. Maria Maio.

Luis Eme disse...

e como eu preciso de tempo, Velas...

Luis Eme disse...

pois há, Tulipa.

parece que temos cada vez mais medo dos nossoa semelhantes...

Luis Eme disse...

pois não, Joana.

é o nosso último reduto da liberdade...