quarta-feira, abril 15, 2009

As Cortinas da Janela da Casa da Avó


Na minha passagem por Salir de Matos, não pude deixar de reparar na compostura e dignidade que a janela de um dos quartos da avó ainda mantém (apesar das rachas na parede...), com as suas cortinas de renda, assim como a bonita roseira de rosas, entre o vermelho e o grenat...
Apesar da destruição à sua volta.

18 comentários:

Maria P. disse...

Se fosse uma "Das minhas Janelas" seria: lendas e rendas...

Beijos, Luís M.

Maria disse...

Este post tem "tanta coisa" dentro, Luís, tanta coisa, ternura, afecto, sei lá...
sei sim! e tu também.

Beijinho, Luís

Joana disse...

Não sei se é a janela, se é a fotografia. Sei que há muita beleza na imagem, tal como no texto.

abraço

alice disse...

:) gosto muito destas janelas tradicionais com rendas feitas à mão. são a personalidade de uma casa, vista de fora, e torna tudo mais familiar por dentro. beijinho, luís.

bob o construtor disse...

Não há "buldozzers" nessa santa terrinha, para acabarem com este sentimentalismo bacoco?

gaivota disse...

são cheiros das avós dentro das casas que tantas vezes foram refúgios dos netos...
cortinas de renda, olha luís, ando a fazê-las! para mim e para a casa da minha filhota...
é da idade, sensibilidade, saudade...
beijinhos

CNS disse...

Tantas histórias para lá desta janela...tantas...

bom fim de semana, Luis
um beijo

as velas ardem ate ao fim disse...

Comoveste me.

bjo grande

Clotilde S. disse...

Estas janelas têm um encanto inigualável, qualquer coisa entre o poema e o drama. Reconheço que tenho um certo "voyeurismo" por janelas.
Um abraço. Gostei muito do seu blog.

Luis Eme disse...

mas não há por ali lendas, apenas memórias, M. Maria Maio...

Luis Eme disse...

pois tem, Maria...

acontece sempre, nos lugares onde fomos felizes...

Luis Eme disse...

há sobretudo, memória, Joana...

Luis Eme disse...

mas por dentro dessa janela já só existem ruinas, é a janela do quarto azul do "post" anterior, Alice...

Luis Eme disse...

não, Bob.

são o tempo e o vento que vão fazendo o trabalho mais pesado...

Luis Eme disse...

tanta coisa, Gaivota, além dos cheiros.

uma casa enorme na meninice, em que tudo nos parece grande, e que vai diminuindo com o tempo...

Luis Eme disse...

tantas, Cristina...

Luis Eme disse...

e tu deixaste-me sem palavras, Velas...

Luis Eme disse...

têm muitas histórias com rostos, Clotilde...