quarta-feira, agosto 27, 2008

Aquele Querido Mês de Agosto

O filme português, "Aquele Querido Mês de Agosto", de Miguel Gomes acabou de estrear nas nossas salas de cinema.

O realizador fez o filme possível (o dinheiro era curto...) que anda muito á volta do seu imaginário, das suas férias de infância, das festas que quase todos conhecemos de aldeia, animadas por grupos musicais de baile e também por cantores do "universo pimba".
Não vi o filme pelo que não vou falar dele. Vou falar sim da festa da minha infância, que se realizava em Salir de Matos, e que por acaso também tinha o seu grupo "fetiche", o "Conjunto Jaime Ferreira".
Realizava-se anualmente no começo de Agosto e era o acontecimento mais relevante da aldeia. Penso que todos os meus tios foram festeiros...
Claro que cresci e fui deixando de aparecer... porque os bailaricos de aldeia eram uma coisa pirosa para os "rapazes da cidade"...
Há pouco tempo soube que esta festa já não se realizava. Quis saber porquê. Contaram-me que os responsáveis pelo último ano de festejos não tinham apresentado contas, havendo mesmo suspeitas da falta de honestidade de alguns elementos.
Esta irresponsabilidade acabou por colocar fim a uma tradição de largas dezenas de anos...
Faz-me confusão que os anos passem e Salir de Matos não volte a ter a sua Festa no mês de Agosto, perante a passividade de toda a Freguesia...

14 comentários:

as velas ardem ate ao fim disse...

Quase, quase a acabar...

um bjo

Maria P. disse...

"Claro que cresci e fui deixando de aparecer... porque os bailaricos de aldeia eram uma coisa pirosa para os "rapazes da cidade"..."

Sabes que na minha opinão esta observação que fazes é em parte muito "culpada" do fim destas festas, é enorme o esforço de algumas pessoas em manter as Festas Populares, e depois, poucos aparecem, não porque não tenham vontade, mas porque é "piroso" e os prejuízos nas comissões de festas acumulam-se de ano para ano até que o barco vai ao fundo...

Todos temos responsabilidade.

Beijos, Luís M.

joana disse...

O título é sugestivo e é de uma canção do Dino Meira.

Quero ver, estou curiosa na forma como foi realizado, Luís.

beijinho

gaivota disse...

do filme também não falarei, também não vi, mas o mês de agosto sempre adequado às feiras e festas regionais por todo o país, o 15 de agosto e a sua enorme feira no campo da mata, era fantástica!
volto à minha meninice...
beijinhos

Luis Eme disse...

já acabou, Velas...

Luis Eme disse...

não sei, mas acho que não, M. Maria Maio.

as festas de Verão continuam em praticamente todas as aldeias.

este caso é quase um "caso de polícias"...

Luis Eme disse...

também fiquei curioso, Joana.

mas como os filmes portugueses, aparecem e desaparecem, quase sem darmos por isso...

Luis Eme disse...

é mesmo o "meu querido mês de Agosto", Gaivota...

Teresap disse...

Salir de Matos faz agora a Festa de Santo Antão. E a de Agosto era em honra de quem?

Luis Eme disse...

penso que era uma festa pagã, Teresa.

Mas realizava-se pelo menos há mais de sessenta anos, pois os meus tios lembram dela desde sempre...

A de S. Antão também se realiza há muitos anos.

Paula Crespo disse...

Eu vi o filme e gostei bastante. Pela autenticidade e não só. Pelas reflexão. E não só. Por várias coisas... As festinhas da aldeia, muito pirosas, de facto, mas são dignas de se ver.Assim à lupa, como no filme. E, em boa verdade, todos os países as têm.
Bom fim-de-semana!

Luis Eme disse...

também quero ver, Paula.

concordo contigo, as festas são dignas de se ver.

Minerva McGonagall disse...

Até ter 15 anos, o meu Agosto era sempre passado na Aldeia dos meus avós. A Festa era o ponto alto das férias. Hoje não passo lá tanto tempo, mas raramente falho uma festa. Além da música pimba, dança-se também a tradicional - o fado, o vira, o arregaça, o vira valseado... - e é bonito ver as gerações mais novas manterem a tradição com tanto gosto ;)

Luis Eme disse...

é por isso que eu digo que esta festa faz falta à minha aldeia, Minerva...

e não é pelo uso dos fatos e vestidos domingueiros...