sexta-feira, agosto 22, 2008

viagem pelo oeste - cinco

Vou concluir este fim de semana caldense, com a sempre bonita e perfumada, Praça da Fruta.

Tenho pena que ninguém lhe "lave o rosto", que "quem pode" não se mostre preocupado com o seu futuro, com a beleza que é a existência de uma praça ao ar livre, com fruta, legumes e outras coisas atractivas, como a louça, as flores e os vimes...
Provavelmente estão à espera que este monumento popular morra de "morte matada", para não lhes dar chatices, ou então que seja vitima de uma intervenção da sempre diligente, ASAE...

22 comentários:

Lóri disse...

Ai, Luis, eu que adoro praças (como vcs dizem) ou feiras livres (como nós dizemos) ou mercados, ou seja lá que nome lhe derem.

E conheço muitos, acredita. Ao ar livre ou cobertos como há tantos em Portugal e na França. Tb gosto particularmente de um, em Antuérpia, onde já fui muito feliz, ao ar livre, onde se vende desde especiairias de todo o oriente, até chá inglês e pasta fresca, feita quase alí.

Gosto do de Vila Real, terra da minha mãe, que me traz lembranças inesquecíveis e do de Vila Meã, onde imagino, ainda, minha avó paterna a vender louça, daquela que se usava antigamente nas aldeias e que ainda se encontra em algumas casas e cujas miniaturas eu e minha irmã ganhamos da primeira vez que aí fomos, eu com 3 aninhos. A vovó era mesmo uma mulher e tanto, já viste? Senhora q tinha seu próprio dinheiro, por trabalhar separadamente do marido, barbeiro da vila, e ainda tocava uma casa com 5 crianças e tudo q vem junto. E paparicava muito o caçula, meu pai,que veio para o Brasil aos 17 aninhos, contra a vontade dela.... Bem, desculpa, isto já são outras louças e mercados.

Beijos... Quase posso sentir o cheiro da fruta e do resto e sentir a ambiance, como dizem os franceses. Adorei a foto e o post.

Maria disse...

Perfumada praça, disseste bem...
Continua no ar a idéia "brilhante e iluminada" do Costa querer fazer dali qualquer outra coisa, ou seja, tirar de lá o que mais caracteriza Caldas da Rainha: a chamada Praça da Fruta...

Beijinho, Luís

Maria P. disse...

Estes locais fazem os meus encantos, em qualquer terra é na Praça que se conhecem as "gentes da terra".

Que belíssimo fim-de-semana XL!:)

Beijo, Luís M.

as velas ardem ate ao fim disse...

Que maçãs tão lindas!

bjo

gaivota disse...

a praça que me viu nascer, sim porque era 4ª feira, às 8h da manhã, já a praça estaria cheia de vendedoras e eu, sem noção de nada, a nascer mesmo aí, em frente de janelas abertas viradas para a praça...
mas era dezembro, as janelas não estariam abertas...
haverá "morte matada"?...
que pena!
ainda hoje me obrigo a fazer as minhas compras de praça, quando estou em caldas de manhã!
beijinhos

Menina_marota disse...

Viajei contigo ao ver e ler os bonitos momentos que aqui partilhaste. (re) descobrir Portugal é uma sensação estranha. Tantos locais onde já passei tantas vezes e é as lembranças de menina que mais me afloram. Talvez porque queira negar as evidências das mudanças e queira mantê-los vivos na minha memória tal como os conheci a primeira vez.

Um abraço carinhoso e grata pela partilha. ;))

Alfazema Azul disse...

Voltei para falar das minhas gentes, da minha terra, das memórias vivas e reais que perduram na minha alma e no meu coração.

Beijinhos

Alice C. disse...

Isso é que foi passear!

A foto está linda, até apetece trincar uma das maçãs, Luís.

beijinho

Anónimo disse...

Caro Luis

Este blog é como um célebre muro onde os viajantes contemplam e depois, dobram um papelinho de recordações e deixam-no ficar entre tantos papelinhos de recordações.....A memória que tenho da praça é do tempo em que tinha 11 anos e atrás de uma velha ( dona de uma loja de modas da cidade onde trabalhava como pré-pré-pré aprendiz ) carregava uma alcofa maior que eu....detestava o dia em que ela comprava batatas primeiro...pois por dois tostões percorria a praça de alto a baixo e vice-versa para comprar uma alface mais barata...e as batatas atrás.....que tempos...só olhava para as pedras da calçada e conheço-as todas desde então...
bom trabalho Luis
Vitor Pires

Anónimo disse...

Olá Luis.
Antes de mais, um abraço.
Quanto à praça da fruta, é uma pena que esteja tão abandonada. Eu tenho a promessa do Fernando Costa de que não vai demorar muito a ser "reparada" há já um projecto eu sei porque o meu filho colaborou nele. Mas acreditar nas palavras do F. Costa é outra coisa.
João Norte

Anónimo disse...

Que Belo tema " a praça da fruta" o melhor postal das Caldas.Só por ser tao forte tem resistido, como tudo! Pois o cerco de tanta Grande superficie comandados pelo tal Costa, mesmo assim não se rendeu!Mas tambem é pena que os produtos ali vendidos já sejam tantas vezes importados de outras regiões e paises, e o pequeno produtor que tenha excesso de produção e queira lá ir vender, não pode, sabiam? deixa-se assim estragar produtos ainda mais puros e dar algum alento aos que ainda trabalham a terra com gosto, e foi esse o grande trunfo daquela praça.

Bordalesco

Luis Eme disse...

eu gosto de praças, mercados e feiras livres (desconhecia...) Lóri.

também conheço alguns... igualmente belos, pela cor das flores, da fruta e das bancas...

acho que a rua (a maior casa do mundo...) continua a ser desvalorizada, em muitos nomes...

Luis Eme disse...

por falares em "tirar de lá", Maria, este Costa sabe-a toda... e os caldenses vão na conversa...

embora não tivesse graça nenhuma, e se ele acabasse com a praça da fruta e Óbidos criasse uma?

Luis Eme disse...

também, M. Maria Maio.

Luis Eme disse...

pois são, Velas.

a senhora afiançou-me que eram do Oeste...

Luis Eme disse...

ainda sentes isto de uma forma mais especial, Gaivota...

Luis Eme disse...

todos fazemos isso, MM.

queremos ficar com as melhores memórias...

Luis Eme disse...

e voltaste muito bem, Alfazema...

Luis Eme disse...

pois apetece Alice...

Luis Eme disse...

era bom que este blogue fosse assim, Vitor...

Luis Eme disse...

pois essa é a grande questão, João Norte, acreditar nos Costas deste país.

claro que a Praça precisa de um treatamento de beleza, para se tornar mais atractiva, mas sem se pensar no seu fim...

Luis Eme disse...

é mesmo, Bordalesmo, só a sua beleza natural e o seu carisma e força popular é que fazem com que continue de pé...