quinta-feira, agosto 07, 2008

As Eiras Sonoras de Agosto

Lembro-me de assistir à debulha de cereais e legumes numa das eiras (já de cimento, quase comunitária...) de Salir de Matos, fascinado pelo som daquelas varas compridas, usadas para malhar o trigo, a cevada e até o feijão seco...

Era um espectáculo impressionante para qualquer criança.
Sei que também tentei "malhar" as plantas secas, mas era pequeno demais e sem grande força e jeito para manejar a vara. Também ajudei a apanhar os "frutos" que se soltavam e depois eram peneirados pelas mulheres da família...
Agosto era um mês cheio de atractivos no campo durante a minha meninice. Isto claro, antes da adolescência, antes da praia ocupar quase todo o mês de Agosto, de deixarmos de passar semanas inteiras de férias na casa dos avós, em Salir de Matos...

Este óleo, "Milho ao Sol", de José Malhoa, mostra-nos um pouco como eram as eiras, terrenos direitos, onde se espalhavam os cereais e legumes ao sol, para depois serem debulhados...

8 comentários:

Maria P. disse...

Lá vou eu levada pelas memórias até ao Alentejo...
Depois havia o milho-rei, sempre um momento especial à volta da eira!...

Beijos, Luís M.

Maria disse...

Memórias que se vão perdendo, com os tempos...

Beijinho, Luís

Sophiamar disse...

Memórias que me trouxeste num momento em que escrevo junto da eira onde assisti a muitas desfolhadas. Bem hajas!
Embora de férias, com pouco tempo para a net,envio-te um abraço e mil beijinhos daqui do meu mar e da minha serra.

ana disse...

Que lindo "Malhoa", bem acompanhado com as tuas palavras, Luís.

abraço

Luis Eme disse...

memórias especiais, M. Maria Maio...

Luis Eme disse...

pois, Maria...

Luis Eme disse...

muitas desfolhadas, memoráveis, Sophiamar...

Luis Eme disse...

aqui é tudo lindo, Ana, neste Oeste...