quarta-feira, agosto 01, 2007

Castelos de Areia & etcétera

Ao descobrir uma família numerosa, que ocupava uma área considerável da praia, com vários chapéus e tapa ventos, lembrei-me de algumas idas à praia em família, à qual nem faltavam os avós...
Fiquei cheio de imagens avulsas, que prometi colar aqui nas "Viagens", quando regressasse...
Era um dia de praia em cheio, de manhã até ao fim da tarde...

Além dos banhos nas águas paradas do rio e lagoa, haviam ainda os jogos de futebol e as construções na areia... lembro-me de gostar de entrar dentro dos castelos de areia, gigantescos e bonitos, construídos com a ajuda dos tios, embora representasse um perigo, porque estava numa idade mais virada para a destruição que para a construção... muitas vezes almoçávamos no pinhal, à sombra, sentados em cima de mantas... lembrei-me também do sabor e do perfume do arroz de tomate e dos panados...

6 comentários:

Maria disse...

Ai Luís, a esta hora a falares destas memórias....
É verdade, os tachos ficavam por contas das avós, e quantas vezes ficávamos a "fazer a sesta" depois de almoçarmos nos pinhais, em cima das mantas de trapos, que rapidamente se enchiam de formigas....
A noite passada sonhei com um dos meus avôs. O que fazia pão. Nunca tinha sonhado com ele (que me lembre). E tu hoje apareces-me aqui com este post, cheiinho de memórias para mim...
Delicioso, o arroz de tomate e os panados, que também eram um dos nossos "menús"...

Beijos

alice disse...

memórias deliciosas de experiências que vale sempre a pena repetir, mesmo quando já não se é criança. gostei muito da sua visita, luís. um grande beijinho.

Franky disse...

Como tudo isto já pertencer ao passado, ao nosso passado. E que saudades! Agora o tempo que passamos na praia é cheios de preocupações, com o Sol, com o UV, com as ondas e a bandeira vermelha! Até com o tempo, se chove ou não! Com os bolos, que já não se vendem na praia. Quem não se lembra do pregão da “Bola de Berlim”! Ou o “Olá fresquinho”!!
Beijinhos Luis

Luis Eme disse...

Sabes que as minhas "Viagens" alimentam-se sobretudo de memórias...

Há coisas simples que se tornam inesquecíveis, como um simples arroz de tomate e panados, Maria...

Luis Eme disse...

Pois são Alice...

Ainda bem que voltaste...

Cada vez que me tratas por você, cresce-me mais um cabelo branco...

Luis Eme disse...

Tudo mudou... sobram as memórias, Franky...