quinta-feira, agosto 30, 2007

A Fruta do Oeste


A entrada na União Europeia, trouxe-nos vários dissabores.
Um dos mais graves, senão mesmo o mais grave, terá sido o quase abandono "forçado", da agricultura pelos portugueses, devido à "invenção" de quotas de produção...
Claro que ainda hoje há proprietários (especialmente os donos de grandes propriedades no Alentejo) a viverem dos rendimentos do "pousio" das suas terras...
A Região do Oeste, bastante rica em fruta, como não podia deixar de ser, sofreu um forte revés com as novas políticas agrícolas comuns...
As únicas espécies que tem resistido, são a pêra rocha e algumas vinhas, aqui e ali...
Mas o mais comum é descobrirmos campos e pomares abandonados no Oeste, porque o país agrícola de Salazar deu lugar a uma "coisa", que ainda não está bem definida, apesar do passar dos anos...
Outra das consequências deste abandono tem sido o aumento dos incêndios, por razões óbvias.
Sem pretender ser saudosista, este cartaz do Estado Novo, lembra-me que sempre produzimos boa fruta, apesar de não ser tão grada como a importada...

15 comentários:

Maria disse...

... mas tem um sabor único...
é só cheirar os pêssegos da zona de Alcobaça e compará-los com os que vêm de Espanha...

Maria disse...

e esqueci-me de falar no pero casanova, exclusivo da região, tal como a pera rocha de que falas...

Dulce disse...

Há certas consequências que o 25 de Abril nos trouxe que não são das melhores! Já era tempo de repensarmos algumas coisitas antes q seja tarde de mais.
Um abraço

Rosa dos Ventos disse...

Pois eu prefiro a nossa!
Faço questão de comprar Português.
É menos grada mas mais saborosa e sobretudo não é "encerada".

inominável disse...

também gostei muito deste cartaz, mas preferi quando disseste que nos transformámos em algo indefinido, um in-between económico que é um in-between identitário afinal...

Sininho disse...

E por onde anda a fruta saborosa que comprávamos?
A espanhola não tem qualquer paladar.
Mas ser agricultor, tal como as coisas estão, não compensa.

Maria P. disse...

Mas o sabor é único!
Perto de mim existe ainda (?!) a tradição do morango,vastas zonas, com direito a Festa Popular e tudo!

Luis Eme disse...

Sabor e cheiro, Maria...

Luis Eme disse...

Neste caso nem foi o 25 de Abril, foi mais a ilusão da "CEE", Dulce...

Luis Eme disse...

Mas cada vez existem menos à venda, Rosa...

Luis Eme disse...

Sim,

sinto que estamos numa encruzilhada, e que quem manda finge que altera as coisas, embora continue de braços cruzados, a ver a banda passar, Inominável...

Luis Eme disse...

Não compensa mesmo, Sininho.

Luis Eme disse...

Pois é Maria P., o sabor e o perfume...

Isabel Castanheira disse...

Luis
Nestas viagens,dados novos com todo o interese.
Não tenho por hábito deixar comentários mas também por cá passeio.
Há uma amiga das Caldas que quer imenso contactar contactar consigo, mas não consegue mandar comentários.
Como podemos fazer?
Um abraço
Isabel Castanheira

Luis Eme disse...

Já "contactámos" por e-mail.

E a partir de agora os comentários estão abertos a toda a gente, inclusive aos "anónimos"...