sábado, dezembro 30, 2006

Mais uma Passagem de Testemunho



Mais um Ano Novo que se aproxima...
Espera-se sempre que seja melhor que o ano que passou, porque somos insatisfeitos, por natureza.
Todos sentimos que as coisas por cá não estão muito risonhas, apesar das contas compridas que aparecem nos jornais sobre os nossos hábitos consumistas.
Nem sei qual é o espanto, se não há cidade que não tenha a sua "catedral do consumismo", onde se fazem convites diários para se gastar o nosso dinheirito, com a promessa de que só pagamos para o ano, aquilo que compramos hoje...
Voltando às Passagens de Ano, nunca foram uma grande festa no seio da minha família. O Natal sempre teve outro sabor, provavelmente por os meus pais não serem muito efusivos, não terem hábitos de bater panelas, abanar notas em cima de cadeiras ou abrir garrafas de espumante e fazer brindes que raramente se concretizam, como todos nós sabemos.
Sei que as primeiras passagens de ano fora de casa foram passadas em festas de garagem, entre adolescentes. Não guardo muitas recordações dessas primeiras farras porque nesse tempo não se passavam grandes histórias com namoradas - o respeitinho era muito bonito... -, pelo menos na província.
Mesmo hoje não valorizo muito esta data e tenho dificuldade em escolher doze desejos, ao ritmo das badaladas do relógio.
Desejos que acabam por ser lugares comuns: Saúde, Paz e Amor... e claro algum dinheiro, que pode chegar a um Ferrari ou ficar-se por uma simples "lata" em segunda ou terceira mão.
Falando mais a sério, claro que todos nós merecíamos um ano de 2007 melhor, com governantes mais competentes e sérios... mas, provavelmente, a crise vai continuar, e no final do ano vem mais do mesmo... ou seja mais desejos e brindes, porque enquanto há vida há esperança...
Só podia ser assim, não fossemos nos os navegadores aventureiros que dobrámos o Cabo das Tormentas e o transformámos em Boa Esperança...
O quadro que escolhi para ilustrar o texto foi um guache de Manuel Cargaleiro, sem título, de um dos nossos grandes artistas plásticos contemporâneos.

12 comentários:

Anónimo disse...

Luís
Se me permites, assino por baixo...
Um bom ano pra ti

Luis Eme disse...

Um bom ano também para ti Maria.

jcfrancisco disse...

É tudo muito complicado. Para quem não liga ao facto de no Carnaval ser obrigatório andar bem disposto, então ainda é pior. Nada muda com a mudança do calendário nem as pessoas nem as coisas. Apenas muda a idade das pessoas e das coisas. 31 de Dezembro ou 1 de Janeiro é a mesma coisa. Na Operação Natal fala-se no número de mortos quando a época é de celebrar a vida. Este ano morreram mais que no ano passado. E não passamos disto. Sou juiz do Tribunal de Menores desde 1993 e todos os anos é sempre a mesma coisa. Mudam os nomes mas os crimes são os mesmos.

Luis Eme disse...

Concordo perfeitamente com o Zé do Carmo.
Apesar das tentativas, desejos e até sonhos... de se viver uma outra vida, de um dia para o outro, é mais uma ilusão, usada para colorir o futuro próximo.

Sininho disse...

Continuamos ricos e a esbanjar em viagens, sabendo esticar bem as nossas ricas férias.
Quem disse que isto vai mal?
Hoje, não quero pensar em tristezas!
BOM 2007, com muita inspiração!

Luis Eme disse...

É realmente impressionante o consumismo e a malta que aproveita estes períodos de férias para viajar.
Levanta várias questões. Mas a principal, é que a riqueza do país (ou a que existe no país...) está cada vez mais mal distribuída.
Somos cada vez mais um país do terceiro mundo, com um fosso cada vez mais profundo e largo, entre ricos e pobres...
Aumentam os tipos que compram carros de gama alta e fazem férias nos trópicos, da mesma forma que aumentam os habitantes da rua, vulgarmente conhecidos como sem abrigo.
Claro que o cenário de 2007, será o mesmo.

Anónimo disse...

Concordo, e o meu "trajecto" ate foi muito semelhante.
Que tenhamos um bom 2007 com saude, paz e melhor qualidade de vida ...
Beijoca*

Luis Eme disse...

Saúde e paz, apesar de serem lugares comuns, são essenciais para o nosso dia a dia...
Uma melhor qualidade de vida, também é cada vez mais essencial, embora se caminhe em direcção contrária... há bastantes anos, Cor do Mar...

O teu "bonito nome" lembrou-me uma das notícias do telejornal da uma, o dinheiro desperdiçado nas praias da Costa de Caparica, esquecidos do poder e da força do Mar!

FSilva disse...

Venho deixar votos de um Feliz 2007

Luis Eme disse...

Um bom ano de 2007 também para ti, F. Silva.
E que as nossas Ilhas continuem encantadas e a encantarem-nos.

Nia disse...

Passagem de Ano?Nunca mas nunca percebi o histerismo das pessoas naqueles minutinhos de despedida do Ano Velho para o Ano Novo.Por nunca perceber, até ficava angustiada.Ficava sempre atarantada com a "obrigação" dos doze desejos e doze passas a correr... tudo a correr...e eu que ficava sempre travada na 2ª passa!!!
Este ano, foi tudo calminho...tão calminho, como eu gostava que assim tivesse sido sempre...que até me esqueci (literalmente!) das danadas das passas!Já estava na cama(eram para aí 2 horas da manhã) quando me lembrei:
-Ei!!!Então as passas e os desejos?!Não as comi e nem pedi nada!Vou ser expulsa do Reino dos Desejos por nada pedir!
Mesmo sendo céptica em relação a essas coisas, pelo sim pelo não fui a correr buscar as 12 passas.Mas...curiosamente, desta vez descobri a táctica dos pedidos de desejos :Um para mim e cada um dos outros divididos pelas 11 pessoas que mais gosto.Não, o Sócrates (o nosso 1º Ministro porque o "outro" já morreu há muito tempo com sicuta!)esse não consta da lista dos meus desejos nem para o bem nem para o mal. ;)

Luis Eme disse...

Olha a Nia, apareceu no Oeste!
Sim senhora, assim é que é, generosa nos pedidos...
Filosofos à parte, claro!

Bom ano para ti e aparece mais vezes, aqui e no teu "Tic-Tac".