quinta-feira, dezembro 07, 2006

A Originalidade Toponímica das Caldas



Algumas placas das ruas das Caldas da Rainha, felizmente, ainda guardam os traços artísticos de Rafael Bordalo Pinheiro. A do Largo Conselheiro José Filipe (um caldense que viveu no século XIX e que pertenceu a uma das famílias mais importantes da vila), junto à Igreja de Nossa Senhora do Pópulo, é um bom exemplo.

Apesar de esta placa ser um objecto aparentemente simples, faz parte da história de uma Terra com grandes tradições na Arte e Indústria de trabalhar o barro.

10 comentários:

Maria disse...

Sim, sim, felizmente que ainda existem algumas dessas placas toponímicas, bem como se vêem ainda alguns prédios com azulejos do Bordalo.
Caldas da Rainha é uma terra com tradição de trabalhar o barro, como dizes, e é pena que não seja mais divulgada esta vertente da indústria da cidade - até a televisão, que deveria formar, para além de informar, associa sistematicamente Caldas ao barro malandreco...
Tem um bom dia!

Sininho disse...

Esta placa é tão bonita que espero, sinceramente, nunca venha a atraír a atenção de algum mentecapto, desses que se entretêm a destruír o património nacional, pelo puro prazer de vandalizar.

Luis Eme disse...

Pois é Maria, muitas vezes associam a nossa terra à loiça malandra, esquecendo a verdadeira arte (visivel no nosso Museu da Cerâmica...) de trabalhar o barro, já secular...

Luis Eme disse...

Também espero, Sininho...
embora neste nosso país exista gentalha que só sabe destruir...

mfc disse...

Tudo o que possa ser feito para a preservação dessas relíqias... é bem vindo!

Anónimo disse...

Existe ainda pela cidade estas e outras "maravilhas", que bom.
Agora deixa-me deixar aqui o meu sorriso ao comentario da Maria com aquela coisa do "malandreco" eheheh
Deixo um beijo e desejo de b f semana*

Luis Eme disse...

Concordo perfeitamente MFC.

Luis Eme disse...

A nossa cidade ainda tem muitas maravilhas, Cor do Mar...

Cris Caetano disse...

É em faiança, não é? Lindíssima e incrivelmente bem conservada. O passado é a nossa história e está totalmente representado em documentos e objectos. Precisamos ter orgulho de nossos artistas de todas as épocas.

abraços

Luis Eme disse...

Cris, é uma placa toponímica das Caldas da Rainha, mesmo de faiança (loiça fina de barro vidrada), com o traço da fábrica que foi de Rafael Bordalo Pinheiro. Infelizmente já não existem muitas com esta beleza...