segunda-feira, março 04, 2024

"Aleppo/ Estrela Vermelha"


Na semana passada passei pelas Caldas e a meio da tarde, passei perto do CCC e acabei por subir as escadas e entrar, para ver se havia por lá alguma exposição interessante.

Fiquei agradavelmente surpreendido pela exposição de José Maria Bustorff. Não sei se lhe chame apenas realista, ou se acrescento o "hiper". Sei sim que gostei bastante da temática e das cores usadas.


Cada vez me descubro mais conservador em termos artísticos. Gosto de rever o mundo onde vivo nas telas e não coisas que não compreendo...

(Fotografias de Luís Eme - Caldas da Rainha)


domingo, fevereiro 18, 2024

Uma fotografia e uma "memória" (no meio dos vagabundos do Benfica)...


Escrevi um texto sobre os "Vagabundos" do Benfica no meu Largo da Memória.

Acabei por escolher uma imagem das Caldas para ilustrar as minhas palavras (e este texto) e também uma memória caldense, no final do texto, que transcrevo:

«Escolhi esta fotografia, porque esta pequena oficina de sapateiro, faz parte do meu imaginário. Ficava a caminho das Praças da Fruta e do Peixe e sempre que ia de mão dada com a minha mãe às compras soltava a mão e ia espreitar as paredes, forradas com as grandes equipas e os grandes jogadores de futebol, num tempo em que os "vagabundos" abundavam nos relvados...»

Claro que esta oficina está fechada há alguns anos. A fotografia foi tirada em 2008...

(Fotografia de Luís Eme - Caldas da Rainha)


quarta-feira, dezembro 27, 2023

"Transibérica, Diário de uma Volta à Península Ibérica em Bicicleta"


Quem como eu, gosta de livros, normalmente recebe sempre vários, como prenda, nesta quadra festiva, que apela cada vez mais ao consumismo.

Mas bom mesmo, é ainda conseguir ser agradavelmente surpreendido com a oferta de livros, que são especiais, entre outras coisas, por terem sido escritos também por pessoas especiais, o que felizmente aconteceu este ano.

Um desses livros especiais que recebi foi escrito pelo meu irmão, que finalmente resolveu reunir todos os textos que foi escrevendo ao longo da última década, enquanto ia dando a Volta à Península Ibérica de Bicicleta. Foram mais de 5.500 quilómetros, quase sempre percorridos com a companhia de amigos. 

Embora já conhecesse praticamente todas estas aventuras, é diferente - para melhor, claro - ler o diário de viagem, completo, que mereceu o título: "Transibérica, Diário de uma Volta à Península Ibérica em Bicicleta".

Este livro, além de estar bem escrito, de uma forma agradável e sintética, tem também muitas fotografias, que procuraram reter a beleza encontrada em tantos lugares magníficos, de Portugal e de Espanha.

Esperemos que o meu irmão, Vitor Milheiro, não se fique por aqui. Até porque "material" para mais obras não lhe falta. Nos últimos anos liderou várias viagens e aventuras, que pela sua singularidade, também merecem  a passagem a livro.

(Fotografia de Luís Eme - Almada)


sábado, novembro 18, 2023

As Fotografias do Mestre...


Ontem fui almoçar com a minha mãe e o meu irmão às Caldas e ainda antes do almoço aproveitei para ver a exposição de fotografia do Mestre Manoel de Oliveira.

Como Serralves não fica ali logo ali a seguir à esquina, foi bom não perder esta oportunidade de ver excelentes imagens a preto e branco (ainda por cima sem pagar bilhete, o que em Serralves é quase um "convite a não entrar"...).


É normal que um realizador de cinema tenha uma boa relação com a fotografia e a imagem, mas o olhar de Oliveira vai mais longe. E como ele bem fotografou Maria Isabel, a sua "mais que tudo", que tal como ele também tinha genes de longa duração e ultrapassou o século de vida.

Um suma, uma exposição a não perder por quem gosta de fotografia (com a beleza do preto e branco) e de coisas bonitas, patente no Centro de Congressos das Caldas.

(Fotografias de Luís Eme - Caldas da Rainha)


segunda-feira, outubro 23, 2023

Memórias do Património Destruído nas Caldas


Tenho andado cada vez mais arredado deste meu Oeste, dai que as "viagens" escasseiem...

Nem sequer escrevi uma linha sobre o incêndio dos Pavilhões do Parque, onde andei nos primeiros anos do Liceu e que albergou durante anos e anos a única biblioteca pública das Caldas (se existiam algumas associativas, eram insignificantes...), da Fundação Calouste Gulbenkian.

Curiosamente este incêndio foi mote de duas boas crónicas no "Diário de Notícias", de Jorge Mangorrinha e de João Lopes, que penso também terem crescido na Cidade das Termas, tal como eu.

O mais curioso, é que a crónica de João Lopes, conhecido crítico de cinema, recordava o Salão Ibéria, que ficava no Parque, ao lado dos Pavilhões, falando do fim do seu reinado como sala de espectáculos ("ruiu numa noite de chuva").

Eu não tenho uma memória bem viva do fim do Salão Ibéria, que já de si, parecia ser de construção frágil (quase de estilo "pavilhão desmontável"...), embora ainda tenha visto alguns filmes de acção durante a adolescência (acho que foi lá que vi um dos "Trinitá"...).

Os meus pensamentos foram logo, sim, para o Cine-Teatro Pinheiro Chagas, que ficava na "Praça do Peixe" e que foi fechado e todo esventrado no interior, sem que a sua fachada perdesse a imponência...

Nunca percebi muito bem o porquê destes atentados ao património local. Mas dos "politiqueiros" locais de direita podia esperar-se tudo (também destruíram a "A Casa da Cultura", no antigo Casino do Parque...). 

Fingiam mesmo acreditar que os "comunistas comiam criancinhas"...

(Fotografia de Luís Eme - Caldas da Rainha)


sexta-feira, julho 28, 2023

"Eu Luto pelo Hospital"


As Caldas da Rainha nunca foram uma cidade revolucionária, mesmo assim gostei de ver a capa da "Gazeta" com uma fotografia bastante simbólica: a Rainha D. Leonor com um manto negro, rodeada de pessoas vestidas com um camiseta preta com a frase de marca, da luta contra a escolha do lugar do novo hospital, "Eu Luto pelo Hospital".

Também gostei de ver muito do comércio caldense solidário com esta causa, que terá os seus custos para a cidade, a médio prazo.

Estou solidário com o sentir da Cidade, porque também penso que não há Localidade com melhor centralidade no Oeste que as Caldas, apesar de todo o mal que lhe foi feito nos últimos trinta anos (praticamente matou-se a "galinha dos ovos de ouro", as Termas, que eram o principal "chamariz turístico" da Cidade...), especialmente por um senhor que também se chama Costa, que também tem a sua quota parte de responsabilidade no "marcar passo" na construção de um novo hospital. Só espero que este senhor não tenha tido o desplante de também ter marcado presença na manifestação pacífica junto da Rainha...

(Fotografia de Luís Eme - Caldas da Rainha)


domingo, maio 28, 2023

João Almeida Volta a Fazer História em Itália


João Almeida conquistou hoje o terceiro lugar na Volta a Itália, com mais uma brilhante prestação numa das mais importantes provas de ciclismo do Mundo.

É um feito que não era alcançado por nenhum português há mais de quarenta anos (desde o grande Joaquim Agostinho...). Mas o João ainda ganhou uma etapa e venceu o Prémio da Juventude.

Pois é, o João ainda só tem 24 anos e se tudo correr, normalmente, terá um futuro brilhante pela frente, naquela que é considerada uma das modalidades desportivas mais duras do Planeta.

(Fotografia retirada do Site A Bola) 


segunda-feira, abril 24, 2023

Regresso às Caldas em Abril...


Regresso em Abril a este Oeste, a estas Caldas da Rainha.

É uma boa oportunidade para regressar, até pela Cidade nunca ter aderido aos "calores" da Revolução. O conservadorismo disfarçado de social democracia nunca se afastou do poder...

E as pessoas, mesmo as de menos posses, pensavam como as que tinham poder e dinheiro...

Nunca esqueço que aos dezoito anos, quando fui para Lisboa, fui a todas as Festas, à do 25 de Abril mas também à do Primeiro de Maio. No Rossio e no Parque Eduardo VII. E respirei Liberdade...

Sim a Liberdade das Caldas nunca foi igual à da Capital, muito menos à da minha Almada, que quando me abriu as portas, era orgulhosamente vermelha, a cor dos cravos.

(Fotografia de Luís Eme - Caldas da Rainha)


sábado, dezembro 31, 2022

Primeiro Estranha-se, depois Entranha-se...


Já dizia o nosso poeta maior, quando lhe fugiram as mãos para a publicidade, que "primeiro estranha-se, depois entranha-se..."

Todos os benfiquistas sabiam que um dia iria acontecer, mas queriam que fosse tarde ou nunca ("nunca" que podia ser na próxima época...). E aconteceu, há menos de uma hora, em Braga. E logo por três a zero.

Não tem nada a ver com a história de "murros no estomago", mas que nos revolve as "entranhas", revolve.

Já me tinha acontecido o mesmo com o Caldas, que ainda por cima perdeu dois jogos seguidos. Mas a equipa da minha "cidade natal" tem algumas peculiaridades, a principal é ser a mais "amadora" de todas as que participam na Liga 3, com a maior parte dos jogadores a terem um emprego e a treinarem ao fim do dia, coisa que quase parece dos campeonatos distritais.

Foi por isso que um amigo, adepto do V. Setúbal, antes do jogo com o Caldas me disse, meio a sério, meio a brincar: «O que é que vocês andam aqui a fazer? Isto não é para meninos.» E não é mesmo para meninos, foi por isso que o Caldas derrotou o Vitória e este meu amigo teve de "meter a viola no saco" e ir dar música para outra freguesia. Quando me voltou a ligar, vinha com um "disco" muito melhor e disse que a minha equipa parecia uma equipa da primeira a jogar futebol.

Só que o Benfica não é o Caldas, ou seja, não se pode dar ao luxo de perder dois jogos seguidos. Não pode mesmo apesar de a matemática dizer o contrário, porque se voltar a perder continua no primeiro lugar do campeonato, com dois pontos de avanço. 

Pois, pode, mas não deve...

Publicado inicialmente no "Largo da Memória".

(Fotografia de Luís Eme - Caldas da Rainha)


domingo, outubro 16, 2022

Esteve Quase...


Podia parecer uma coisa "impossível", mas depois do que se passou no Campo da Mata, mais de 120 minutos depois, com o jogo empatado, percebeu-se que a vitória estava logo depois da esquina. 

Bastava existir "sorte", e o Caldas ser a equipa bafejada pela "lotaria" das grandes penalidades.

Pois é, esteve mesmo quase...

Grande Caldas! Grande exemplo de tenacidade daqueles jogadores, que nem sequer são profissionais, mas quiseram fazer história. E grande José Vala (que bom que é o autocarro só servir para transportar a equipa...).

Foi pena não ter havido "Taça" nas Caldas. Foi pena não termos ontem a felicidade que o Varzim teve hoje (entre outras sete equipas de escalões inferiores que eliminaram primodivisionários)...

(Fotografia de Luís Eme - a partir da televisão)


sábado, outubro 15, 2022

E Se o Caldas Ganhasse ao Benfica?


Embora seja benfiquista, gostava bastante que acontecesse Taça, daqui a menos de duas horas, no Campo da Mata.

Sim, já que o Benfica tem de perder, um dia destes (não há invencíveis...), era bom que fosse o Caldas a quebrar este excelente ciclo encarnado, em todas as frentes.

O Caldas continua a ser especial, por várias razões. Além de ter jogado nas suas camadas jovens (iniciados e juvenis), foi o primeiro clube que vi jogar ao vivo, com seis, sete anos, de mão dada com o meu pai.

Curiosamente ou não, o Caldas é único clube desportivo do qual tenho um cachecol...

E por tudo isto, vamos embora Caldas! 

(Fotografia de João Miguel - Almada)


sexta-feira, outubro 14, 2022

Festa nas Caldas com o Caldas


Amanhã vai ser uma festa nas Caldas, com a visita do Benfica, para mais uma jornada da Taça de Portugal, de boas memórias para os caldenses, nos últimos anos.

Desta vez nem sequer pensei em "chatear" o meu irmão para tentar arranjar bilhetes para o jogo.

E fiz bem. Quando li o que o presidente do clube, o Jorge Reis (companheiro de futeboladas na nossa adolescência...) disse ao jornal "A Bola", percebi e aceitei muito bem os seus argumentos.

A primazia vai para os sócios. Acho que sim, teoricamente são quem sente mais a "camisola" do Caldas e quem ajuda o clube a sobreviver ao longo dos anos.

Só me resta esperar que seja uma bela jornada de futebol (o prognóstico fica para amanhã...).

(Fotografia de Luís Eme - Caldas)